E o que todos imaginavam mas não acreditaram que iria evidenciar aconteceu. O Vereador Ceará desconcertou, desmentiu e contradisse tudo sobre a gravação que vazou nas Redes Sociais sobre a sua perseguição política. A coluna de hoje coloca um ponto final no caso do Áudio do Ceará.

 

Desnecessário

É desnecessário relembrar o caso do Vereador Ceará, quando um áudio de sua autoria, endereçado ao Vereador Cuiú, mostrava a indignação quanto as represálias políticas sofridas por ele, por ter votado pela aprovação das contas do ex-Prefeito Antonio Carlos no ano de 2004.

 

Nepotismo

Na gravação o Vereador fala em Nepotismo e que iria fazer uma denúncia. Em seguida disse que existe um requerimento pedindo informações de outro Vereador, mas que não há possibilidade em afirmar isso.

 

Represálias

Quanto as represálias de seus afilhados devidamente nomeados na Prefeitura, alegou posteriormente que tratava-se do caso de um comissionado com 27 anos de Prefeitura e de ameaças feitas para os outros apadrinhados, sem que houvesse conclusão, ou seja, exoneração.

 

MP

Sobre a sua ida ao Ministério Público alegou depois de tanto barulho não ter como apresentar uma denúncia ao Senhor Promotor de Justiça, por tratar-se do Requerimento de outro Vereador e que este documento ainda não tinha as devidas respostas para a subsequente apresentação.

 

Cessar

Bem, é melhor parar com todo este circo, pois trata-se de mais um engodo político, ou seja, um “Vereatoris Chiliquetos Esperniandis”, típico de alguém que age no vigor da ira, do que propriamente no esplendor da razão.

 

Interessa

Passado o momento fervilhante, vamos ao que interessa neste caso que já entrou para a história política de Caraguatatuba.

 

Vazou

Segundo apuramos com nossas fontes o áudio foi vazado nas Redes Sociais pelo próprio Cuiú, que viu no ato insano de Ceará a melhor estratégia política do ano.

 

Destruiu

As declarações de Ceará que se referem ao colega Parlamentar Duda Silva caíram como uma luva no colo de Cuiú, que comprovou e destruiu toda arregimentação política em torno do ex-assessor do impugnado ex-Edil Gobetti.

 

Laudo

Não podemos esquecer que existe um laudo, assinado pelo Vereador Duda Silva que contraria a obra das quadras de piso sintético feitas pela Prefeitura e que a sua não divulgação, sacramentou um apoio que viria de Bagre Júnior para a sua candidatura à Presidência do Legislativo em dezembro deste ano.

 

Relembrar

Relembrando apenas que pessoas ligadas a Duda Silva negam que este laudo existe.

 

Aniquilou

Ao mesmo tempo a continuação da malfadada gravação, relatando o plano maquiavélico em modificar o Regimento Interno para reeleger o atual Presidente, Bagre Filho, jogou um caminhão de terra no plano de perpetuação do poder familiar.

 

Arquivo

O Contra & Verso já havia avisado que esta estripulia jurídico administrativa tinha como intenção manter os membros da família piscicultura viscosa de bigodes dirigindo os destinos da cidade num ano em que a nova Prefeitura e a nova Câmara deverão inicia a sua construção.

 

Caminho

Toda essa baderna política eletrônica e estratégica abriu uma baita avenida de vantagens e caminhos para Cuiú, que no momento, torna-se o mais cotado, o melhor, senão o único candidato com chances de conquistar a Presidência da Casa de Leis na cidade.

 

Resistência

É bom frisar que toda esta artimanha poderá ter causado uma certa resistência entre Cuiú e o trio de Bagres. Caso seja positivo, não vislumbro um biênio de harmonia entre os poderes.

 

Poder

Por outro lado uma vitória de Cuiú resultaria num afastamento de Gobetti pelo controle do Legislativo e um largo domínio para as investidas do amigo Hermano que tanto sonha em sorver o gosto pelo poder definitivo.

 

Resumo

Resumindo o imbróglio esta foi mais uma demonstração de fogo amigo, ato que marcou o ano político na cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *