Após um espaço de oito anos o Litoral Norte, mesmo que por um curto período, volta a ter um representante na Assembléia Legislativa. O ex-Vice-Prefeito Antonio Carlos da Silva Júnior assume em sete de janeiro uma vaga como Deputado Estadual pelo PSDB. Em entrevista exclusiva o novo Deputado promete muito trabalho e uma equipe enxuta.

Antonio Carlos Júnior assume em sete de janeiro como Deputado Estadual até 15 de março quando os novos Deputados, eleitos em 2018, assumem para um período de quatro anos. Antonio Carlos Jr. foi o nono suplente nas Eleições Gerais de 2014, quando conquistou 55 mil votos no pleito.

Antes dele ocuparam uma vaga representando o Litoral Norte o ex-Prefeito de São Sebastião, Paulo Julião, de 1989 a 1992 e de 2001 a 2004; o também ex-Prefeito mas de Caraguatatuba, Antonio Carlos da Silva, de 2006 a 2008 e no mesmo período, Mozart Russomano, de 2006 a 2010. O Litoral Norte de São Paulo nunca foi representado na Câmara Federal em Brasília.

O novo Deputado Estadual assume na vaga do Deputado Marco Vinholi, oriundo da região de Catanduva para assumir a vaga de Secretário Estadual de Desenvolvimento Regional. Vinholi era Liderança do partido na Assembléia e sua atuação se resumia ao Social, Emprego, Agricultura e Finanças Públicas. Apenas Antonio Carlos Jr. e um outro suplente assumirão uma cadeira na Assembléia Paulista neste período de transição.

Como Deputado Estadual ele terá direito a um salário de R$ 25.322,25 bruto e líquido de R$ 18 mil além de uma verba indenizatória de R$ 31.800,00 em média para o pagamento de despesas no dia a dia como Internet, Assessoria Técnica, Telefone, Celular e Correio, com valores limite e em separado para cada tipo de gasto. Como membro da Assembléia Legislativa terá direito também a uma verba de gabinete de R$ 81.900,00 em média para até 16 auxiliares. O Auxílio Moradia e o carro com motorista estão incluídos na Verba de Gabinete.

Em entrevista exclusiva para o Blog Contra & Verso, Antonio Carlos Júnior conta que dos 16 assessores que pode contratar, apenas nove serão chamados; Valdirene, Adnalva, o ex-Vereador Valmir da Colônia, os advogados João Gustavo e Marcelo Paiva, a ex-Presidente da Fundacc Eloísa Antunes e o ex-Presidente do Diretório local do PSDB, Lúcio Fernandes.

Nestes três meses a Assembléia Legislativa estará funcionando normalmente, permitindo ao Deputado eleito no final da gestão, ao reeleito que terá continuidade e ao Suplente que assumirá por um curto período, trabalhar normalmente em pró de sua região, como será o caso de Antonio Carlos Júnior. O retorno do recesso de Natal e Ano Novo está marcado para o dia sete de janeiro e das Comissões e Sessões Ordinárias a partir de primeiro de fevereiro, ou seja, mesmo que por um curto período, nada impedirá um suplente como Antonio Carlos Júnior de exercer a sua função como Parlamentar em pró do Litoral Norte.

O período de transição não impedirá o exercício da função como Deputado Estadual. “Estou livre para marcar e agendar encontros e reuniões com Secretários Estaduais, diretores de Autarquias e até audiências com o Governador João Dória”, frisou. Ao mesmo tempo o período será importantíssimo para o início da gestão João Dória, quando os Tucanos terão 19 Deputados Estaduais, incluindo Antonio Carlos Júnior, contra apenas nove deste Deputados a partir de março, pois nesta transição serão votados os chamados “Projeto Bomba”, que darão um start na gestão do novo Governador.

Dentre os trabalhos, projetos e tarefas para o período, Antonio Carlos Júnior quer zerar o Saneamento Básico no Litoral Norte, através de ações junto a Sabesp. Ao mesmo tempo tentará aumentar a velocidade limite nos radares da Rodovia dos Tamoios para 90 quilômetros/hora e tornar de Utilidade Pública o Fundo Social de Solidariedade das cidades de São Sebastião e Ubatuba. Ainda no período irá estudar quais emendas irá direcionar no orçamento para a região.

O mais novo Deputado Estadual do Litoral Norte não esconde que sua passagem pela Assembléia Legislativa servirá de subsídio para a campanha eleitoral em 2020. “Serão os 16 anos do meu pai na Prefeitura, meus oito anos como Vice-Prefeito dele e este período como Deputado Estadual que irão enriquecer o meu currículo visando o pleito de 2020”, relatou. Júnior não esconde que como Deputado, irá combater os erros do atual grupo político que domina a política local. “Gostaria de saber porque a UPA do Travessão ainda não foi entregue a população, porque a Sepedi mantêm esta má gestão, largada, onde o idoso está perdido, a falta de medicamentos, pois na nossa gestão entregávamos R$ 1 milhão mensais e qual a razão do Empréstimo de R$ 60 milhões para um orçamento com mais de R$ 700 milhões anuais”, ressaltou.

Antonio Carlos Júnior ressalta que terá muito trabalho e dedicação no período, pois estará trabalhando pelo futuro do Litoral Norte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *