*Stefan Massinger

 

A renomada agencia Ideal Consulting, que se especializou em acompanhar o mercado de bebidas em geral e do vinho em especificamente, sempre nos traz informações sobre as diversas movimentações do mercado do vinho. Então vamos esta vez analisar a situação das importações e tentar de interpretar os diversos razões atras desta mudança.

As importações de vinhos e espumantes registraram uma queda de 2,9% em volume em maio, na comparação com o mesmo mês de 2021. Os vinhos, com redução de 4,4%, são os responsáveis por esta retração pela importância que têm neste mercado. Em maio, foram importadas 1,48 milhão de caixas de 9 litros apenas de vinho. Os champanhes tiveram aumento de 187% no mês, com 5,5 mil caixas, enquanto os demais espumantes importados registram alta de 75%, com 44,5 mil caixas.

Observando estes fatos então apareça, que o consumidor brasileiro consome menos vinhos importados, mas deu um “up” no consumo de espumantes. Não é bem assim. Primeiramente, temos, que saber, que Brasil continue sendo um mercado muito atrativo e querido para vender vinhos. O crescimento de consumo durante a pandemia foi absurdo, entre 50-6-%, e em 2022 ainda estamos falando de um crescimento de 30%.

Mercado aquecido, consumo por capita aumento, vinho está se tornando uma bebida acessível e atrativo para muitos brasileiros. Porque esta queda da importação. Sem ser 100% expert e dentro de tudo o que a importação nos mostra, mas ao meu ver esta queda é resultado de principalmente 2 fatores. O primeiro é, que temos muitos e muitos rótulos e importações já rodando dentro do nosso país. Entre meus colegas, que trabalham com importações de vinho, fala-se de uns 300 mil para cima. Números que se baseiam em opiniões de pessoas, trabalhando no ramo, não temos estatísticas exatas sobre este fato. Enfim, acho que nosso país está saturado com importações e isso freia novos rótulos e quantidades para chegar. O outro fator é que os contêineres, que transportem os vinhos, principalmente europeus, australianos e da África do Sul, estão em falta. Então por falta de meio de transporte também está sendo menos importado atualmente.

Já o aumento de consumo de espumantes deve ser reflexo, que voltaremos com os eventos – casamentos, aniversários, eventos corporativos, que por 2 anos forma quase extintos. E nada melhor que uma festa em bom estilo com uma taça de espumante refrescante na mão, não é mesmo?

 

* Stefan Massinger nasceu na Áustria, sul de Viena, numa região de vinhos. Vive em Caraguatatuba, sendo Master do grupo Wine, o maior e-commerce de vinhos da América Latina, responsável para gestão de pessoas e vendas. Também já trabalhou com venda de vinhos e atua também como consultor independente de negócios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *