A nossa vida é repleta de redemoinhos e sensações das mais diversas e depois que passamos por vários destes momentos é que percebemos o quanto vivemos e aprendemos. O estranho é que depois que tudo passou não conseguimos lembrar ou entender como entramos nesta rota sem rumo, nesta barca pronta afundar. E de uma hora para outra, quando menos percebemos tudo volta a tona, num simples clic, numa simples imagem.

Estava eu vivendo como uma pessoa normal, limpa, sem qualquer dependência ou desejo por aquela vida louca e sem razão, quando, ao transitar pelas Redes Sociais, tudo voltou. Calma!!! Não tive uma recaída, simplesmente relembrei como destinei boa parte dos anos de minha vida a um caminho cego, que muitos não conseguem voltar.

Estava navegando quando vi a entrevista de Carlos Lothar, Presidente da ABCD – Associação Brasileira de Combate às Drogas – o assunto, com certeza, era a vida desprezível que eu e muitos tomamos. Na entrevista, dada ao Radialista Leão Lobo, ele perguntava para Lothar como as pessoas entram para o mundo das drogas. A resposta foi tão simples quanto a pergunta; A Indicação de más companhias!!!. Minha vida passou pelos meus olhos em segundos, todos os momentos, os sofrimentos, as falsas alegrias, às más companhias. Incrível como uma palavra modifica tudo em você.

Lothar estava corretíssimo!!! As más companhias são o principal caminho para as drogas. Foi como se o livro da minha vida caísse no meu colo na página dois. Lembro bem que minha vida sempre foi boa, mas boa mesmo. Tinha carro do ano, dinheiro na conta, roupas caras, uma família que me sustentava, um pai e uma mãe que me amavam e alguns amigos, onde levávamos uma vida de Playboy.

Sem emprego e nenhuma vontade de trabalhar ou estudar minha vida não tinha qualquer interesse, prioridade ou qualquer vontade de vencer. Acordava tarde, ia a praia, almoçava nos melhores restaurantes da cidade, tinha diversas ficantes e minhas noites eram divididas entre bebedeiras no bar e algumas festas de amigos ou dos amigos dos amigos. Vocês acreditam que eu cansei deste tipo de vida??? E quando deveria procurar um emprego ou algo para fazer, comecei a reclamar do marasmo que eram os meus dias.

E foi num bar que tudo começou. Não me lembro do nome ou da fisionomia, mas alguém sugeriu que eu deveria ter mais emoção, mais adrenalina e a sugestão foi me apresentar ao Pitomba, que vocês já conhecem. A partir daí foi uma dose, duas, primeiro com Maconha, depois Cocaína, Êxtase e por aí vai. Através do Pitomba conheci as meninas e meu amigo Cícero e minha vida descambou para o que vocês conhecem.

A afirmação de Lothar foi importantíssima, veja bem as pessoas que você conhece e o que elas te indicam e orientam. Eu, assim como o Lothar, consegui voltar, mas muitos não!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *