Por Beá Moreira

 

Antes, falava-se do “Novo rico”. Agora, temos o “Novo Caduco”.

O novo caduco é aquele que confunde as senhas da internet com as senhas do banco. É aquele que perde o controle do portão, e não acha o controle universal da TV, que ela só sabe ligar e desligar, e, com muito esforço, mudar de canal – prá assistir qualquer coisa mesmo, porque nunca acerta navegar na TV a cabo, nem tem vontade de aprender! Também perde o aparelho de audição. Aquele, bem pequenininho, que é para não aparecer. É! E não aparece, realmente. Mesmo a gente se matando de procurar! O novo caduco, nunca sabe que botão apertar, no celular. Manda mensagens repetidas, erra o grupo, passa áudios mudos…

Mas, é o novo caduco, também, que tem tempo pros amigos! É o novo caduco que, com seu “bom dia” pontual, monitora, subliminarmente, os novos caducos à sua volta. “Acordou”? “Dormiu bem?”. “Tudo certo”? Na verdade, a pergunta é “Tá vivo”?!

É o novo caduco que planeja viagens, sem se preocupar com data de ida e volta. Tem todos os dias livres! O novo caduco se cuida, e tem saúde invejável, embora esteja mais lento. O novo caduco é alegre e divertido, vaidoso e bem tratado! Tem uma vida repleta de amigos, e risadas. Muitas risadas!

Enfim, novo caduco é só uma forma bem-humorada de referir àqueles que, conhecendo suas limitações, aceitam as dificuldades da idade como bônus, com humor e gratidão. Afinal, é isso que é viver!

Em tempo! Atualizando! O novo caduco é aquele que, todo dia, volta prá casa, sempre que sai, porque esqueceu de pegar a máscara.

 

Beá Moreira é Cientista Social, e comenta sobre o cotidiano e suas nuances, de forma descontraída e despretensiosa, buscando fazer do leitor de qualquer idade, um companheiro de bate papo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *