Este maldito ano de 2021, ano que não se deve lembrar ou ter saudade, mas que serviu de aprendizado em alguns momentos de vida, no apagar das luzes comprovou a sua ferocidade com o anúncio da morte do Ex-Presidente da Associação Comercial e Empresarial de Caraguatatuba, Sthênio Pierotti, meu amigo particular, uma perda irreparável, uma pessoa que será difícil esquecer e quase impossível que surja outro igual nas próximas décadas.

Peço licença aos meus seguidores, Internautas, Críticos e Admiradores para escrever em primeira pessoa, ou melhor, alternar a primeira com a terceira pessoa para narrar e homenagear esta pessoa notável em todos os sentidos que foi Sthênio Pierotti. O seu estado de saúde agravou-se nos últimos dias, mas sempre havia a esperança que ele melhorasse e que continuasse entre nós, transmitindo a sua energia e conhecimento.

Tenho por norma e tradição não ir a Enterros. Compareci apenas na despedida de meu pai e com certeza estarei presente no meu enterro!!! Preferi ficar em casa e cuidar dos meus afazeres, guardando na memória a minha última visita a sua casa, onde fiquei entretido com suas façanhas em Marcenaria, o seu jardim e os mais belos e variados pássaros que degustavam de água e frutas diariamente.

Conheci Sthênio Pierotti em 2017, ao final de uma reunião da Comissão de Turismo e como reza a praxe, Jornalista só conhece as pessoas através de pautas ou sobre o trabalho que vem exercendo. O assunto era a Fundacc e outros tantos que permeavam o nosso dia-a-dia naquele ano.

Sthênio fez parte da geração dos anos 70, tempos de Ditadura, do Kharman-Ghia, do Puma, da Rua Augusta, do Rock, meia branca, Jovem Guarda, do HiFi, da Cuba-Libre e outros tantos momentos, que você só revivia indo ao seu Aniversário e ouvindo os testemunhos de velhos amigos, que compartilharam com ele agradáveis e inusitadas ocasiões.

A partir daí foram conversas periódicas e constantes, debates acalorados, discussões profundas dos mais variados assuntos, sejam eles locais, regionais, no âmbito do Estado de São Paulo e do nosso país. Em todos estes momentos pude comprovar a imensidão intelectual, a expertise, a visão futurista e a maneira como tratava o ato de administrar e lidar com organizações, empresas, finanças e colaboradores.

Sthênio nos deixou com 64 anos sendo frequentador de Caraguatatuba desde 1962, morador em definitivo desde 2001 e como comerciante desde 2011, com comprovados 40 anos dedicados ao Comércio, registrou passagem por uma Concessionária de Automóveis e uma pequena loja de material elétrico. Ainda sobre o Comércio Sthênio faz parte da “Geração Empretec”, que assumiu no lugar dos Românticos fundadores da ACE – Associação Comercial e Empresarial de Caraguatatuba – em 2006, sendo Vice-Presidente por três gestões, até assumir a Presidência em 2016, onde, como não podia deixar de ser, mostra gabarito e competência administrando a entidade.

Empresário, Empreendedor, Político, Ativista Político, Cidadão e o mais importante, Pessoa, um ser humano dedicado a uma vida em comum, em comunidade, pensando sempre com tom de coletividade.

Na ACE teve vários obstáculos a vencer, como o de construir e finalizar, em tempo recorde, a Sede Social da entidade no Jardim Britânia, obra esta que acompanhei gradativamente e que teve menção em nosso veículo de comunicação. Quando Presidente e numa entrevista exclusiva ao Blog Contra & Verso, abriu os livros da entidade, mostrando números, vitórias, quedas e toda luta que teve para manter em pé uma das maiores e mais estruturadas entidades da cidade.

Como Ativista participou de quase todos os grupos de discussão em prol da melhoria do município, como o Plano Diretor, Orçamento, Turismo, Meio Ambiente e do Comércio, como não poderia deixar de ser. Em todas as suas participações mostrou-se sempre um curioso em saber os meandros do assunto e um crítico quanto a composição dos quadros. Sthênio sempre foi um nome contra o Individualismo, principalmente no que diz respeito aos grupos que apenas compareciam nas votações quando lhe era interessante, quando era de seu interesse.

Como Político tinha uma visão futurista, completamente destoante da Política atual que é praticada neste país. Adepto da Nova Política por vezes era chamado de Sonhador ou num tom hilário, que seus pensamentos coincidiam bastante em outros países como a Finlândia, Suécia, Holanda ou até em outros planetas. Buscou melhorias para o país de uma forma geral, filiando-se a partidos políticos que ou o traíram ou o preteriam na hora de tomar uma decisão e correr atrás do voto.

Estar com o Sthênio era sempre uma aula, seja ao vivo, tomando café com ele no rancho montado na sua casa, seja por telefone ou até pelas Redes Sociais. Sinto-me honrado e envaidecido por ter uma amizade tão marcante em tão pouco tempo, pois serão momentos que ficarão gravados eternamente e usados sempre que for necessário. Acho que me estendi em demasiado e vou parando por aqui, pois como ele sempre disse, “Se eu contar tudo meus filhos morrem de fome!!!”.

Descanse em paz meu querido e prezado amigo!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *