Atração já diz o nome é quando algo vai ao encontro de outro. Pode ser um metal imantado que atrai outro, pode ser uma pessoa que vê na outra atributos e vontade de estar junto, o que caracteriza a atração, mas como uma Empresa, Entidade ou Instituição de classe pode atrair um membro??? Este é o caso da ACE – Associação Comercial e Empresarial de Caraguatatuba – e a pergunta que não quer calar; Há necessidade de atração para participar e decidir os caminhos de uma categoria???

A questão dos metais já está explicada sendo a mais simples, pois um metal imantado atrai outro e vice-versa. Na questão humana o modo de ser, os olhos, detalhes do corpo, os cabelos ou adereços chamam a atenção do parceiro e a sua vontade de sempre estar junto, de se relacionar, de viver uma vida é a razão para a atração. A questão animal é tão parecida quanto a humana, pois a fêmea exala o odor que atrai o macho, o macho luta entre outros machos para ter a fêmea ou as suas evoluções e cantos atraem também a parceira.

Explanando agora pela questão profissional e comercial a atração se dá quando um lado expõem melhorias, vantagens, benefícios e garantias para o futuro associado. Um carro só atrai o seu comprador se tiver tecnologia e garantias de menor custo de manutenção e gasto com combustível e assim por diante.

Analisando por outro prisma uma Organização deve oferecer vantagens aos seus futuros sócios e integrantes para poder se inscrever e associar??? Sendo assim a ACE – Associação Comercial e Empresarial – de Caraguatatuba terá que oferecer toda uma gama de atrativos para aumentar o seu número de associados???, pois com mais de 16 mil CNPJs – Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica – na cidade, o número de associados existentes é pequeno, numa porcentagem infinitamente menor esperado pelo menos para um mínimo, sendo esta uma das principais bandeiras na gestão do novo Presidente Yuri Bellato.

Vejo que há um enorme erro de interpretação do que seja uma entidade de classe, seus atrativos e sua forma de atrair. Iniciamos com a tese de que a ACE não é um clube social ou de vantagens, é uma entidade de classe patronal que visa lutar e brigar por seus direitos, pelos direitos dos Comerciantes, Prestadores de Serviço e Empresários situados em Caraguatatuba. O finado Presidente Sthênio Pierotti sempre criticou a postura de quem via na ACE a imagem de um Clube Social e não a de uma Entidade de Classe Patronal.

A ACE nasceu em 1965 para defender os Comerciantes de uma Fiscalização Abusiva e Política, por Impostos proporcionais a vida econômica da cidade, por taxas e tributos realistas, pela defesa da concorrência ilegal e desleal, por incentivos que visem o aumento do comércio, pela melhoria e aumento do Turismo na cidade como forma de trazer mais renda pelo número de Turistas visitantes.

Argumento ainda que a ACE deveria ser o pólo de união de todo o comércio local, referindo-me aos Comerciantes, Prestadores de Serviço, Bares, Restaurantes, Hotéis e Quiosques, tornando-se uma força única e voltada para os interesses da cidade.

Por um outro prisma os problemas de uma categoria não são apenas dela, mas toda a classe e com base nisso não há empecilho para que as subdivisões do comércio se unam, se associem e lutem por melhorias juntas, pois o velho ditado fala “A União faz a Força!!!”. Partindo deste princípio não seria uma ótima ideia unir forças e se associar para resolver as questões que diariamente batem as portas da categoria e que não encontram solução???

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *